Skip to main content

Enfrentamento da crise exige união dos sindicatos

As formas de enfrentamento da crise econômica e do desemprego no país foram pontuadas pelos sindicatos de arquitetos e urbanistas como grandes desafios para os próximos meses em reunião de trabalho da Federação Nacional dos Arquitetos e Urbanistas (FNA), em João Pessoa, na Paraíba
sindicatos

Andréa dos Santos representante da FNA na ConfetuCUT

Ao lado desse cenário, soma-se a precarização das relações de trabalho e a movimentação pelo fim da obrigatoriedade da Contribuição Sindical, o que deve exigir revisão de fontes de receita por parte do movimento sindical. “Precisamos buscar outras formas de arrecadação e saber como enfrentar essa nova realidade”, alertou a representante da FNA na Confetu, Andréa dos Santos.

Uma das estratégias de enfrentamento é a união e troca de experiências em âmbito regional. “Os sindicatos precisam estar juntos e articulados para poderem chegar até o profissional”, salientou a vice-presidente da FNA, Eleonora Mascia, que coordenou os trabalhos. A ideia foi reforçada em manifestação do conselheiro e ex-presidente da FNA Jeferson Salazar, que pontuou a importância a união entre diferentes categorias profissionais, principalmente com aproximação entre sindicatos de arquitetos e engenheiros. Leia mais Leia+Mais→

FNA debate renovação no CAU

A Federação Nacional de Arquitetos e Urbanistas (FNA) cria GT para debater renovação no CAU
fna

O presidente da FNA, Cicero Alvarez, defendeu que as entidades dos arquitetos e urbanistas entrem em um acordo para garantir a renovação nas eleições de 2017

A plenária da reunião Ampliada da FNA aprovou a criação de um Grupo de Trabalho para debater e encaminhar uma posição da federação em relação ao processo eleitoral do CAU 2017. Foi definido que, inicialmente, a FNA fará consulta à Comissão Eleitoral do CAU sobre o limite de reeleição de conselheiros estaduais e federais. De acordo com a resposta, poderá ser encaminhado pedido de impugnação e, só em recendo nova negativa, se avaliará a judicialização da questão. Antes, porém, os sindicatos serão consultados para que a decisão seja tomada em conjunto. Leia mais Leia+Mais→

Arquitetos italianos no Segundo Reinado

A importância de engenheiros-arquitetos e construtores (como de resto todos os profissionais da construção civil) de origem italiana no Brasil do século XX / Por Paula Vermeersch
Arquitetos

Professora Paula Vermeersch

A importância de engenheiros-arquitetos e construtores (como de resto todos os profissionais da construção civil) de origem italiana no Brasil do século XX é tema de importantes estudos de nossa História da Arquitetura, que enfatizam essa presença no crescimento urbano financiado pela expansão cafeeira e origem da indústria no país, notadamente em São Paulo[1]. Porém, sabemos, por notícias ainda esparsas, de profissionais italianos da construção que chegaram ao Brasil desde a segunda metade do século XIX, e que foram atuantes no Rio de Janeiro e na província de São Paulo. Esses personagens ligam-se à imperatriz Teresa Cristina, direta ou indiretamente; podemos afirmar, para um início de investigações, que a imperatriz napolitana representou um primeiro incentivo à chegada desses homens, e um primeiro influxo às suas ambições e realizações[2]. Leia mais Leia+Mais→

São Paulo e Seus Arredores por Tuca Vieira

Atlas Fotográfico da Cidade de São Paulo e Seus Arredores: processo inesgotável, por Gabriel Kogan

Tuca Vieira

O guia de ruas encontrado pelo fotógrafo Tuca Vieira no banco de um táxi dividia a cidade de São Paulo em 203 partes iguais, representadas em páginas separadas da publicação. Ao longo dos dois anos que se seguiram ao achado, o artista registrou uma foto em cada um desses quadrantes do mapa, percorrendo a vastidão da cidade com sua câmera analógica de grande formato 4×5 em expedições solitárias. A série originou o Atlas Fotográfico da Cidade de São Paulo e Seus Arredores, projeto que, nas palavras do próprio fotógrafo, “nasce fracassado”: representar São Paulo, uma metrópole de 22 milhões de pessoas e quase 8 mil quilômetros quadrados. Leia mais Leia+Mais→

Arquitetura sustentável por Fátima Souza

Arquitetura sustentável: mais do que uma opção inteligente: “Se você tivesse um espaço para viver onde a água fosse captada da chuva, a energia viesse do sol e dos ventos e o alimento pudesse ser produzido dentro da própria casa, o que você faria com seu tempo?”, ​Michael Reynolds, arquiteto.

sustentável

​De tudo o que já ouvi Mike Reynolds dizer, talvez, a frase acima, seja a que produz um impacto mais profundo na minha maneira de pensar arquitetura e no modo como vivemos dentro do sistema capitalista. Acredito que nessa simples pergunta ele abordou tantas coisas que nos prendem e até nos escravizam, sem ao menos nos darmos conta. Dos boletos que se avolumam em nossa caixa de Correios, à obrigatoriedade do trabalho, do ganho de capital e a redução a quase zero, em muitos casos, do nosso tempo livre para, enfim, vivermos.>>> Leia mais Leia+Mais→

Arquitetura Marginal

O vídeo ‘Arquitetura marginal: o desafio de radical experimentação em áreas urbanas de cidades do interior paulista’ apresenta o resultado final de pesquisas financiadas junto ao CNPq e findas em 2016 de Evandro Fiorin, professor da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Unesp de Presidente Prudente, junto ao Grupo de Pesquisa de Projeto, Arquitetura e Cidade.>>> Leia mais