Skip to main content

Arquitetos italianos no Segundo Reinado

A importância de engenheiros-arquitetos e construtores (como de resto todos os profissionais da construção civil) de origem italiana no Brasil do século XX / Por Paula Vermeersch
Arquitetos

Professora Paula Vermeersch

A importância de engenheiros-arquitetos e construtores (como de resto todos os profissionais da construção civil) de origem italiana no Brasil do século XX é tema de importantes estudos de nossa História da Arquitetura, que enfatizam essa presença no crescimento urbano financiado pela expansão cafeeira e origem da indústria no país, notadamente em São Paulo[1]. Porém, sabemos, por notícias ainda esparsas, de profissionais italianos da construção que chegaram ao Brasil desde a segunda metade do século XIX, e que foram atuantes no Rio de Janeiro e na província de São Paulo. Esses personagens ligam-se à imperatriz Teresa Cristina, direta ou indiretamente; podemos afirmar, para um início de investigações, que a imperatriz napolitana representou um primeiro incentivo à chegada desses homens, e um primeiro influxo às suas ambições e realizações[2]. Leia mais Leia+Mais→

São Paulo e Seus Arredores por Tuca Vieira

Atlas Fotográfico da Cidade de São Paulo e Seus Arredores: processo inesgotável, por Gabriel Kogan

Tuca Vieira

O guia de ruas encontrado pelo fotógrafo Tuca Vieira no banco de um táxi dividia a cidade de São Paulo em 203 partes iguais, representadas em páginas separadas da publicação. Ao longo dos dois anos que se seguiram ao achado, o artista registrou uma foto em cada um desses quadrantes do mapa, percorrendo a vastidão da cidade com sua câmera analógica de grande formato 4×5 em expedições solitárias. A série originou o Atlas Fotográfico da Cidade de São Paulo e Seus Arredores, projeto que, nas palavras do próprio fotógrafo, “nasce fracassado”: representar São Paulo, uma metrópole de 22 milhões de pessoas e quase 8 mil quilômetros quadrados. Leia mais Leia+Mais→

Arquitetura sustentável por Fátima Souza

Arquitetura sustentável: mais do que uma opção inteligente: “Se você tivesse um espaço para viver onde a água fosse captada da chuva, a energia viesse do sol e dos ventos e o alimento pudesse ser produzido dentro da própria casa, o que você faria com seu tempo?”, ​Michael Reynolds, arquiteto.

sustentável

​De tudo o que já ouvi Mike Reynolds dizer, talvez, a frase acima, seja a que produz um impacto mais profundo na minha maneira de pensar arquitetura e no modo como vivemos dentro do sistema capitalista. Acredito que nessa simples pergunta ele abordou tantas coisas que nos prendem e até nos escravizam, sem ao menos nos darmos conta. Dos boletos que se avolumam em nossa caixa de Correios, à obrigatoriedade do trabalho, do ganho de capital e a redução a quase zero, em muitos casos, do nosso tempo livre para, enfim, vivermos.>>> Leia mais Leia+Mais→

Arquitetura Marginal

O vídeo ‘Arquitetura marginal: o desafio de radical experimentação em áreas urbanas de cidades do interior paulista’ apresenta o resultado final de pesquisas financiadas junto ao CNPq e findas em 2016 de Evandro Fiorin, professor da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Unesp de Presidente Prudente, junto ao Grupo de Pesquisa de Projeto, Arquitetura e Cidade.>>> Leia mais

Arte urbana de São Paulo, Nova York e Berlim

BEĨ Editora apresenta livro que combina arte urbana de São Paulo, Nova York e Berlim, um ensaio triplo de Eduardo e Gabriela Longman que compõe Grafite – Labirintos do Olhar, a ser lançado em abril

Arte urbana

[vertical-spacer]

[one-half-first]Três cidades e sua produção de arte urbana. Num percurso marcado pela observação, reflexão e pesquisa, o fotógrafo Eduardo Longman e a jornalista Gabriela Longman trabalham desde 2014 para criar Grafite – labirintos do olhar. O livro, bilíngue, é resultado de incursões dos autores pelas ruas de São Paulo, Nova York e Berlim. (Na foto abaixo, da esq. paradir., Berlim, NY e São Paulo).>>> Leia mais Leia+Mais→

Concurso universitário de urbanismo

Promovido pela revista PROJETO em parceria com a Alphaville Urbanismo, o  URBAN21 abre inscrições para a edição 2017 e premia os melhores projetos de desenho urbano entre as equipes inscritas, formadas por universitários.

urbanismo

Até o dia 2 de junho de 2017, acadêmicos de Arquitetura e Urbanismo de todas as faculdades e universidades do país podem se inscrever na terceira edição do URBAN21. O concurso, promovido pela revista PROJETO em parceria com a Alphaville Urbanismo, visa incentivar os alunos a desenvolverem projetos urbanos que tragam novas ideias sobre mobilidade, densidade, infraestrutura e transporte, além das edificações no entorno, em áreas urbanas existentes nos municípios brasileiros.>>> Leia mais Leia+Mais→