Governo reduz verbas. Apenas um em cada dez cursos de Arquitetura e Urbanismo existente hoje no Brasil é custeado com recurso público

AU

E a tendência é que o interesse estatal pelo estudo e por pesquisas relacionadas ao planejamento das cidades – o que poderia ser visto como ferramenta para redução de desigualdades e até da violência – siga a correnteza da educação nacional, que enfrenta cortes superiores a 30% no governo Bolsonaro.

O recente anúncio de redução de repasses federais a universidades é um dos principais temores dos dirigentes que estão à frente das instituições públicas de pesquisa e graduação em Arquitetura e Urbanismo. “O que o governo está fazendo só vem trazer um atraso para o país. Leia+Mais→