Skip to main content

Dificuldades da moradia popular

Livreto do acervo do CEDEM conta uma das histórias que não deram certo

Moradia popular / Cedem

A deficiência de habitação popular no Brasil é histórica. Em 1961 havia 15 milhões de brasileiros vivendo em cortiços, mocambos e favelas, segundo informação de um folheto produzido pelo então ministro do Trabalho e Previdência Social André Franco Montoro (1961 – 1962). O documento intitulado Campanha Nacional da Casa Própria – Casas para a Família Trabalhadora integra o Acervo Histórico do Movimento Operário Brasileiro, custodiado no CEDEM. Leia+Mais→

Anita Prestes inaugura exposição histórica

Acervo de Luiz Carlos Prestes está disponível na UFSCar para visitação gratuita até o dia 19 de outubro, na Biblioteca Comunitária da Universidade

Prestes

Anita Prestes inaugura linha do tempo de Luiz Carlos Prestes na BCo

Na última segunda-feira, dia 24 de setembro, a Biblioteca Comunitária (BCo) da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) recebeu a professora Anita Leocádia Prestes, filha de Luiz Carlos Prestes – militar e político brasileiro que comandou a revolucionária marcha Coluna Prestes entre os anos de 1925 e 1927 – e de Olga Benário Prestes, para a inauguração de uma linha do tempo retratando a trajetória do político e para a abertura da exposição “Linha do tempo de Luiz Carlos Prestes… Fragmentos”, com 34 objetos que pertenceram a ele, cuja exibição pública é inédita. Os itens expostos são presentes recebidos por Prestes de familiares e amigos, em diversas épocas de sua vida. Já a linha do tempo destaca momentos marcantes da carreira do político. Leia+Mais→

Arquitetos italianos no Segundo Reinado

A importância de engenheiros-arquitetos e construtores (como de resto todos os profissionais da construção civil) de origem italiana no Brasil do século XX / Por Paula Vermeersch
Arquitetos

Professora Paula Vermeersch

A importância de engenheiros-arquitetos e construtores (como de resto todos os profissionais da construção civil) de origem italiana no Brasil do século XX é tema de importantes estudos de nossa História da Arquitetura, que enfatizam essa presença no crescimento urbano financiado pela expansão cafeeira e origem da indústria no país, notadamente em São Paulo[1]. Porém, sabemos, por notícias ainda esparsas, de profissionais italianos da construção que chegaram ao Brasil desde a segunda metade do século XIX, e que foram atuantes no Rio de Janeiro e na província de São Paulo. Esses personagens ligam-se à imperatriz Teresa Cristina, direta ou indiretamente; podemos afirmar, para um início de investigações, que a imperatriz napolitana representou um primeiro incentivo à chegada desses homens, e um primeiro influxo às suas ambições e realizações[2]. Leia mais Leia+Mais→